segunda-feira, 22 de outubro de 2007

THE BEST OF CHRIS REA (and friends)



Quando o(a) leitor(a) estiver de posse das músicas, se deparará com uma lista de participações especiais do naipe de Elton John, Paul Rodgers (líder do Free e Bad Company) Bill Wyman & Charlie Watts (Rolling Stones) e por aí vai… Agora pasme. Esta é toda a informação que possuímos sobre o álbum - a foto da capa, por razões óbvias, não é original. Para o ouvinte, espera-se, seja o bastante. Ocorre que, oficialmente, este disco não existe. Se produto de um fã, da paixão incondicional de um admirador que compilou o repertório, O cara, no mínimo, é um profissional gabaritado de um estúdio tipo “major”! Entendeu a maiúscula no "o" do cara?... O álbum tem unidade, conceito e o que é melhor, se não se encontra fácil suas músicas em sei lá quantos álbuns oficiais, que dirá o repertório inteiro num CD duplo. Mas o fato é o seguinte, esqueça. Não existe. Não se encontra "the best of Chris Rea (and friends)" na enciclopédia virtual da música allmusic.com, não existe para vender no amazon.com, no CD Universe... O disco não existe nem na Internet. Foi tirado de lá por acaso, por um astuto arqueólogo virtual e deixado em local ignorado e pro leitor é o que basta.
Para os não iniciados Chris Rea é um bluseiro não ortodoxo, guitarrista de mão cheia, slide-guitar de tons dramáticos, estilo clássico e muito característico. Fosse vinho, avintajado seria. Identidade estilística a título de orientação: Mark Knopfler (Dire Straits). Mas espere mais deste Chris aqui. A coisa não é simples assim. Maior paixão além da música? Os carros. Ferrari de preferência. Em 1996, o grande Tiffosi, Rea, manda construir uma réplica do extinto proibidão* 156 Sharknose e produz a trilha do filme que narra a história de uma criança filha de emigrante italianos, que ao ver na TV o GP de Mônaco, fica fascinado pelos carrinhos vermelhos e pelo conde alemão Wolfgang Von Trips, que vivia num castelo. Daí por diante, sua vida se desenrolará no sentido de um dia voltar à Itália e conduzir um Ferrari.
De “La Passione”, o filme, aqui está "La Passione", o tema. Onde os arranjos arrojados de Chris Rea somam-se à voz rascante requintada de Shirley Bassey, num perfeito casamento mezzo a mezzo kitsch/cult. Enfim, Rea, na real é quase tão "o cara", quanto O outro misterioso desta compilação. Seu estilo musical vai do disco sound, à valsa, à musica latina, a instrumentais com orquestra sinfônica, rock, blues, jazz, pop, baladas líndíssimas mostram a versatilidade de Chris Rea e a sua capacidade de nos transmitir uma paixão, através de outra, os carros e a música. Não à toa sua obra pede movimento, transpira estrada, curvas de alta, baixa, aderência e atenção redobrada na alternância das paisagens...
Mas, enfim2, sendo, talvez, o produtor da pérola ao alcance de 3 cliques no mouse, um fã desconhecido, se encontrado, mereceria Grammys mís pelo conjunto desta obra. Anote aí, uma das melhores trilhas sonoras de vossa, se nem sempre excitante, elegante vida.

*1961 ficou marcado pela trágica morte do mítico conde Wolfgan Von Trips e 14 espectadores no circuito de Monza. À "boa maneira" Ferrari, a "família" 156 Sharknose - brinquedo assassino da época na competição -, foi toda destruída. Sacrificada como feras punidas por fugirem ao controle humano.

Part 1
Part 2

15 comentários:

  1. Pô tá bombando post por aqui, e só mosca branca. Tem muita coisa que eu desconheço. Mas não se esqueça de avisar aos amigos que vc está com um blog agora, a troca de links pode ser uma boa, pois ajuda a divulgar o blog. É claro que colocar links, ou não, fica por sua conta, tem gente que não põe, eu acho bacana.

    ResponderExcluir
  2. Woody, este pode ser o blog de vida mais cuta (in)existente. Te explico via emeio.

    ResponderExcluir
  3. Edson d'Aquino22/10/07 15:05

    Se eu não fosse ateu praticante, levantaria as mãos pro céu em sinal de louvor e gritaria: 'Aleluia!!! Deus seja louvado!!! Até que enfim o Sérjão vai parar de encher o saco pra postar aquele monte de links que ele enviou há apenas dois minutos!!!'
    Cara, não podia passar por aqui sem te dar uma boa sacaneada, né?
    Bom, apesar de vc já ter postado o 'In The Garden' da Gypsy, como eu já havia subido os links deste e do primeirão dos caras, não vou deixar de postar lá no G&B.
    Parabéns e não desista por causa de nenhum Renato, seja de Copa ou New Iguaçu. O imbecil não merece nenhum crédito.
    Edson d'Aquino

    ResponderExcluir
  4. O Gypsy saiu pra dar uma volta mas já tá retornando. ""Houveram"" motivos... Depois bato pá tu e Woody quais. É engraçado.

    O 1º, Homônimo Gypsy, gosto mas não tanto como o "In The Garden", acho-o bom mas só a partir da metade e acho que, na liberdade poética, quando o meu Gypsy 'In The Garden' voltar, voltará mais fortinho com os bonustracks do primeirão homônimo. Quem quiser os dois em separado na íntegra, eu mando bater na tua porta pedindo 'pão-véio'. Chama-se política da boa vizinhança.

    Quanto a encher o saco, c sabe que sem ofensa, né? O que posso dizer?...: Que me encham o saco com coisas como The Negro Problem, David Mattews, Shuggie Otis, Betty Davis, Gentle Giant, o filme... (lembre-se q fui eu q te passei) e aquele monte de maravilhas que ainda não tivestes tempo de ouvir com a merecida atenção. Tá tudo em casa... Imagina gente...

    Mas se eu te pegar elogiando aqui coisa que eu já tenha te mandando nos tais CDs de mp3 vou puxar-lhe 'azoréia', literalmente! Que outro jeito de fazer?...
    Brinde!!!

    ResponderExcluir
  5. "David Mattews" não, Eric Matthews! E aí, afinal gostou ou foi um sacrifício chato de ouvir?

    ResponderExcluir
  6. GRANDE SONICO AQUI E O RAINHA PARABENS ESTOU PRESTES A COLABORAR COM MEUS 12OOO CDS OK AGORA UM PRESENTAO PRA VC E TODOS DO BLOG TODA PROGRAMACAO DA ELDO POP ANOTA AI http://eldo-pop.tripod.com/ valeu

    ResponderExcluir
  7. Grande Queen! Vamos tentar encontrar alguma programação gráfica, logo marca, essas coisas, pra que as pessoas localizem a importancia da rádio. Hoje esbarrei com o Maurício Valadadre, quem sabe ele não nos ajuda nisso. Se postar a programação da rádio a seco, pode ser bão, postar com informação visual, pode ser bótimo!
    Valeu. Já estou trabalhando nisso, mas, me ajuda, Buda!

    ResponderExcluir
  8. Maurício Valadares

    ResponderExcluir
  9. uma radio on line seria bom com td programacao da eldo pop tenho todas as musicas aqui vamos planejar isso hehehehe

    ResponderExcluir
  10. sergio sônico22/10/07 22:29

    Anônimo, per favore, identifique-se. Tbm tenho a programação. Estou preparando o texto para postá-la, aliás. O que preciso é de uma logomarca qualquer. Mas acabo de descobrir, pela pesquisa, q a rádio, mal tinha locutor, que dirá logo marca. Já vi a programação musical rolando pela Rede, noutros blogs. Querer ser esclusivo nesses tempos de tudo-ao-mesmo-tempo-agora de informática, tbm, é cúmulo da vaidade. Não tenho essa pretenção. Mas só por enquanto. Como diria o tatu, um furinho é sempre bom.

    O som (a qualidade do áudio) da programação tbm não está o máximo. Mas pros cariocas da minha idade/geração, apaixonados por música, será um alento. Nos aguarde. E ponha o sergio sônico nos teus favoritos. Tua idéia de rádio é boa. Continue gestando.

    ResponderExcluir
  11. sergio sônico22/10/07 23:11

    pretensão exclusiva eu queria ter de escrever certo quando escrevo de pressa...

    ResponderExcluir
  12. Edson d'Aquino23/10/07 00:27

    Na lata, como sempre, hehehe!!!
    Cara, Chris Rea está entre meus sliders prediletaços. Tenho tuuuuuuuuuuuudo, menos uma única música chamada 'Workin' On It'(single version).
    Quem não conhece tem a obrigação de conhecer. Aliás, não há como não conhecer ao menos 'Fool (If You Think It's Over)'. Belo post.
    Abrações,
    Edson d'Aquino

    ResponderExcluir
  13. Cara, tu tem até a trilha completa do filme da Ferrari descrita aqui no texto? Não é aquela maravilha toda, eu sei, mas deixa eu te apresentar uma novidade, amigo!..........

    ResponderExcluir
  14. O aguia esta em todas.....
    Parabéns sergio

    ResponderExcluir
  15. O Chris Rea, eu to chorando por causa d ingratidão do seu Edson.

    Abraço, Miguelão, el grande chorão

    ResponderExcluir

Uma obra de arte é um ângulo apreciado
através de um temperamento.
(Emile Zola)