sexta-feira, 22 de maio de 2009

Coleman Hawkins (The Hawk Flies High) 1957



Quanto tempo, um ser humano mais ou menos normal, é capaz de  sustentar-se numa nota só - com uma dificuldade a mais: soprando? Quem lança o desafio, na faixa 2, Juicy Fruit, do álbum “The Hawk Flies High” não sou eu, é o alienígena (e trompetista), Idrees Sulieman. Para o bem da verdade, não persegui The Hawk Flies High exatamente por causa de Coleman Hawkins. Mas por já ter sido letalmente atingido pelos feixes de raios de Sulieman, baixado alguns raros álbuns solos e lido algo sobre duelos fatais entre Hawkins e Idrees neste disquinho aqui. Idrees Sulieman – de quem, pra variar um pouquinho, só ouvira/lera nos créditos de outros tantos álbuns - fundamentais -, sem atinar para a grandeza do ET. Coisa de ouvidos moucos de um pobre amador, claro. Nem liga.

Então, aí está, Idrees, pra efeito de reparação (o titular desta postagem)*: é você... vá lá, o Coleman... mais uns quatro ou cinco outros aí.

Ah, pois é... Os outros:

Barry Galbraith: Guitar
J.J. Johnson: Trombone
Hank Jones: Piano
Jo Jones: Drums
Oscar Pettiford: Bass

*melhorou seu Fig? Não, o lema da casa é, o cliente satisfeito ou seu dinheiro de volta. Embora não pareça levo a sério essa bibocaqui. Abraços!

21 comentários:

  1. Joca, c sabe q a língua tem liberdade, né? Então esse "S" de "é-se capaz" tem tbm a função de dizer q esse Idrees é um maldito super-heroi! Carái. Maldito no bom sentido, craro. V como a língua é livre?

    eu sei eu sei fui eu q te perguntei se tava certo ou errado. C tva quieta no seu canto. Mas foi só pá puxá papo, boba.

    ResponderExcluir
  2. a íngua é ivre, capaz dos esses em si!



    bJo

    ResponderExcluir
  3. Gentle Giant está no outro blog:

    http://oksom.blogspot.com/search?q=gentle+giant

    Um abraço

    PS - Nunca me esqueço da grandes bandas.

    ResponderExcluir
  4. Mas peraí: piano, guitarra, baixo e bateria também "sopram"? rs
    Ou será que não entendi a pergunta?

    ResponderExcluir
  5. Fig... rs, rs, rs... Explicar fica mais complicado - e custa mais caro.

    Fala-se o tempo todo de um trompetista, q chamou mais atenção do q o genaral da banda...

    Não, se ficou puxado, um atento ouvinte como vosmecê, entenderá tudo, Fig.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, Miguel. Agora q vi o outro blog, mas lá não vi onde comentar.

    Amigo Angelo, eu sou tão fanático por GG, apesar de todo o jazz (mais maduro) q quando vi na relação de suas preferências King Crimson, Yes e tantas outras da mesma linha progressiva, não deu pra conter o ... digamos, puxãozinho de orelhas. Mas foi total brincadeira, ñ repare.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Amigo Sérgio, se é que o posso chamar assim.
    Sou apenas uma amante da música. Adoro o jazz mas tenho outras paixões. E o rock progressivo é uma delas. E deu para perceber (sem puxão de orelhas), que os seus gostos são parecidos com os meus...

    Um grande e sincero abraço,

    Miguel Coelho

    ResponderExcluir
  8. Claro q pode chamar de amigo.
    Abração sincero de um carioca à simpática Terrinha.

    ResponderExcluir
  9. Grande Sérgio,

    Excelente pedida. Hawkins no esplendor de sua forma, acompanhado de verdadeiras lendas vivas do jazz, como o grande Hank Jones, Oscar Pettiford e Jo Jones (Figbatera certamente é fã desse cara).
    O garimpeiro de sons, como sempre, acerta na mosca, digo, no falcão!!!
    Um fraterno abraço!

    ResponderExcluir
  10. Tá bom, dr. Érico, doutor em polidez e gentileza. Só que o homenageado da vez é Idrees Sulieman. Ô meu Deus!

    Rs!

    Estou e sempre fico encantado com as visitas ilustres. Comentadas assim, então...! Ficamos combinados, Érico, q, se re-caíres aqui neste mesmo batcanal, escutas a faixa "Juicy Fruit" e... não precisa se impressionar como eu, só me dizer o que achou, certo?

    Um abraço e perdoe as brincadeiras.

    ResponderExcluir
  11. Take it easy, my brother Sergio...

    Em sua distintíssima homenagem ouço a maravilhosa Juicy Fruit (tem uma levada blueseira irresistível), enquanto posto esse comentário. E o disco ainda se dá ao luxo de trazer o grande J. J. Johnson no trombone.
    Como diria o Rev. Fábio Massari, "cláááááássico absoluto".

    Abração.

    PS.: O Idrees é craque, consegue sustentar uma nota por intermináveis minutos(coisa de gênio) e é o grande destaque dessa faixa, mas prá mim quem arrebenta mesmo é o líder da sessão - o velhote tá ali, cabeça com cabeça com a galera mais nova e esbaanja fôlego e categoria.

    ResponderExcluir
  12. Ufa. Finalmente alguém falou sobre esse detalhezinho q é crucial:
    "consegue sustentar uma nota por intermináveis minutos" e q, vc sabe, Érico, não é firula tipo tocar guitarra nas costas (os hendrixianos me lincham se lêem essa comparação, eu amo Hendrix, mas vc entendeu o que eu quis dizer, não?) Claro q Coleman é sempre o gênio da vez. Mas quando se atina para um coadjuvante com tal poder de fogo, roubando a cena, isso tbm é um prazer enorme, concordas?

    Agora sim, posso dormir em paz.

    Abração!

    Teus textos são ótimos, amigo. Devias tirar do armário essa desculpa de jazzófilo 'diletante', jogar fora no lixo e escrever um livro, viste? Eu compraria.

    ResponderExcluir
  13. Grande Sérgio,
    Sugestão anotada quanto ao livro (te confesso que tenho uma vontade danada de fazê-lo, só me faltam tempo e talento literário).
    No que toca ao adjetivo diletante, não tenho coragem de jogá-lo fora (ainda). Tenho que comer muito feijão e aprender muito com os mestres Sônico, Salsa, Lester, Edú, Tandeta, Scardua e outras feras.
    Abraço grande e sonhe com um solo maravilhoso de Parker, bem debaixo de sua janela para o infinito.

    ResponderExcluir
  14. Nenhuma postagem é capaz de sanar o aparvalhamento que o sopro de Hawkins produz. Ainda mais quando em companhia de Idrees.

    Mas continuaremos tentando.

    Grande abraço, JL.

    ResponderExcluir
  15. Hey Sergio...ainda procurando por HADDEN SAYERS - 12 Bars And The Naked Truth...????

    ResponderExcluir
  16. Amigo, já consegui o álbum no soulseek. Demorô mais consegui.

    Só não sei a quem agradecer a lembrança. Ô, anônimo - e anônimos da Rede - se assinem, por favor...

    É vc, Zé? O Zé do Sportv?

    ResponderExcluir
  17. Não cara,não sou o Zé do Sport Tv.
    Sou sim um cara grudado nos seus comentários.
    Viajo na rede procurando novas sonoridades complementares ao BLUES...O jazz fica um pouco dificil pra mim,ficando quase só em WEATHER REPORT,ACOUSTIC ALCHEMY,SPYRO GYRA e pouco mais.
    Já agora vou no atrevimento de sugerir uma audição...TRI CONTINENTAL.
    Abraço.
    LunaBlue.

    ResponderExcluir
  18. LunaBlue, no mínimo, em cada álbum de jazz aqui postado tem uma faixa muito, mas muito blues. A questão é q convencionou-se ligar o blues apenas com as guitarras.

    Mas tá anotada a sua dica. E obrigado por lembrar-se daquele Hadden Sayers. Agora acho q tenho tudo do cara, só esperando o próximo lançamento. Será q conheceste o Sayers por aqui? Tomara.

    ResponderExcluir
  19. Não Sergio,quando descobri seu blog já conhecia HADDEN SAYERS.
    O que tenho dele:

    - HADDEN SAYERS
    - RETROFUTURA
    - SWINGIN´ FROM THE FABULOUS...
    - SUPERSONIC
    - 12 BARS AND THE NAKED TRUTH
    Existe um (EP) BLUE COUNTRY com 5 musicas mas que infelizmente não tenho.
    Abração.
    LunaBlue.

    ResponderExcluir
  20. "SWINGIN´ FROM THE FABULOUS..." Disparado o melhor! Aliás, foi como disse na minha postagem, dos melhores álbuns ao vivo q conheço.

    Tudo tem explicação, Lunablue - até ter-te confundido com o Zé do Sportv: Conheci o Sayers, numa matéria do canal a cabo. Na verdade a música fazia a trilha da matéria, prestei atenção na letra no refrão, fui com o nome no allmusic, site completíssimo q recomendo a todo o mundo, e lá estava a música creditada ao Hadden. Com o nome do artista fui no soulseek e assim saí baixando todos os álbuns q ali surgiam. Mas justo o q tinha a tal música q me chamou a atenção pro bluseiro era o q não conseguia baixar nunca. Não aparecia esse 12 BARS AND THE NAKED TRUTH nem no Amazon, quanto mais em lojas de disco aqui do Rio ou do Brasil. Daí apelei pro Zé, o amigo e editor do canal em questão. O resto da história tu já sabe.

    Então qualquer novidade do artista me interessa. E agradecerei amarradão se vc me aparecer por aqui com alguma.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Uma obra de arte é um ângulo apreciado
através de um temperamento.
(Emile Zola)