quarta-feira, 24 de outubro de 2007

CRIMSON JAZZ TRIO - KING CRIMSON SONGBOOK



Para os não iniciados numa tendência em expansão, os trios mezzo a mezzo jazz/rock, cujo expoente máximo são Medesky, Martin & Wood, este é um álbum para lavar a alma. Um pequeno curso prático intensivo unificado numa aula só. E não será porque você, no bom sentido, claro, não pegando bem a coisa, repetiu e ainda repetirá uma, duas, 3, 1000 vezes a lição. Afinal que mal há, no sentido da percepção, em querer saber ainda algo mais?
A idéia de Tin Landers (baixo), Jody Nardone (piano) e Ian Walace (bateria) de dissecar o repertório (e que repertório!) da melhor banda progressiva de sempre em jazz, é simplesmente irrepreensível. Mandaram muito bem.
Com a palavra o enciclopédico Scott Yanow no allmisic.com:
A jazz piano-bass-drums trio performing the songs of the rock group King Crimson? That's what the Crimson Jazz Trio accomplished on this intriguing CD, King Crimson Songbook, Vol. 1, the first of several. By re-harmonizing the music a bit, adding vamps, and digging into the grooves, the Crimson Jazz Trio transforms the pieces from rock anthems into viable devices for jazz improvisations. Electric bassist Tim Landers has nearly as much solo space as pianist Jody Nardone; the trio (which also includes drummer Ian Wallace works together very closely and they not only create new versions of unexpected material, but show that they have developed their own group sound. Recommended, particularly to listeners who are familiar with King Crimson's recordings.

Sem mais cunversê para gastar,

LINK RESTAURADO!

13 comentários:

  1. Fino, d+, sonzeira das boas, esse eu garanto e não canso de ouvir. Quando eu quero ouvir e aperto o play do CD player, mesmo que o disco não estaja lá, ele toca. Porque de tanto eu ouvir até o CD player já decorou!

    ResponderExcluir
  2. SERGIO SÔNICO25/10/07 15:43

    Senhoras, perdão se me virem, mas...
    Bom pra caralhabeça "impsionante"! Na primeira vez não foi aqule amor a primeira vista/ouvida não (e esses assim é que são os melhores, precisam de depuração). Esperava mais, muito mais! Sou King Crimson maníaco desde criancinha. Larks' Tongues in aspic, comprei quase que no lançamento! Acho essa (o KC) uma banda diferenciada de tudo. Costumo dizer que a banda que mais gosto é Gentle Giant. Mas a melhor, disparado, é King Crimson. Por isso tanta exigência. Mas na terceira audição já estava amando o Crimson Jazz Trio! Ladies of the Road, não dá pra dizer que ficou melhor, é outra concepção!... mas ficou um luxo! Que tratamento!

    Valeu, Woody, por mesmo tendo o álbum, ter vindo aqui só pela consideração ao álbum. Ele vale cada elogio. Quero mais gente. Muito mais! Os caras merecem.

    ResponderExcluir
  3. Ha, ha, hai, estamos empatados então.
    Minhas maiores paixões são King Crimson, Gentle Giant e Yes.
    Já tive um empregado q me dava lucro, mas me dava muito trabalho, Sergio Malandro.
    Voce é Sergio Sonico q entende d som.

    Mui grato

    At.

    Silvio Santos

    ResponderExcluir
  4. Hi, hi, hi, Sergio Sônico e não Sergio Sonico.
    E olha q na minha idade, numa hora destas, eu q estou com sono. hi hi hi.

    Boa noite colegas d trabalho.

    At.

    Silvio Santos

    ResponderExcluir
  5. SERGIO SÔNICO25/10/07 23:39

    Silvio Santos veio aqui, pã pã panãnãnããã... Esse disco é mágico! Não demora traz das cinzas o "Messiê Limá".

    ResponderExcluir
  6. O povo quer saber seu Sergio=
    Por que King Crimson é um ícone d progressivo?
    Por que Silvio Santos é sanguessuga?
    Por que seu Edson acha o Miguel Joaquim Cartwright da Cruz chato?

    Sérgio Malandro

    ResponderExcluir
  7. Muito bom esse King Crimsom in jazz!!! Muito Obrigado!
    Fripp

    ResponderExcluir
  8. Hoje resolvi dar uma conferida no nº de downloads da casa. Sensacional! Enquanto os outros álbuns juntos - mesmo os zerados de comentários - estão na média de 9/10 downloads, este aqui disparou na frente 55 pessoas já baixaram! Fico feliz. Principalmente pq na pesquisa de mercado, este é mais um dos tantos álbuns, aqui postados, que não estão a venda nem na Modern Sound. Se liguem lojistas! A julgar por essa média, esse álbum vai vender bem!

    ...Mas acho que tô falando c'as paredes.

    Falou sergio sônico, desta feita a serviço do mercado.

    ResponderExcluir
  9. Um verdadeiro SHOW de competência, desse trio fantástico, e difícil ouvir somente uma musica. A versão de I TALK TO THE WIND não saí da minha cabeça.
    Abraço Amilton

    ResponderExcluir
  10. Aê, Milshtra!!! Continue explorando e comentando. Já provou a programação da Eldopop? E o Vindicator do Arthur Lee? Imperdíveis!
    Abração!

    ResponderExcluir
  11. Olha só Milka, a última vez q conferi os downloads desta postagem, dia desses, eram 80 e tal. 80 e tal pessoas baixaram o álbum e menos de 10 comentaram... Vc pensa que foi só você que chapou com esse disco? Sem partir pra estatística, muito menos pro chororô, o que tá em falta aqui (só aqui?) é retorno, correpondência. Não vou dizer “seja do que for” porque mordo a língua, mas uma bendita identificação faz uma falta da porra.

    ResponderExcluir
  12. Os comentários estavam fechados pra balanço, seu sônico. Por isso não comentei. Embora o disco mereça um esforço intelectual pra comentar, como sou preguiçoso, me aproveitarei do que o amigo aqui, Woody deixou escrito. O que acontece com ele também aconteceu comigo: "Quando eu quero ouvir e aperto o play do CD player, mesmo que o disco não estaja lá, ele toca. Porque de tanto eu ouvir até o CD player já decorou!" É isso aí.
    Grato!
    João Só.

    ResponderExcluir
  13. Eu tbm so preguiçoso, seu Só. Mas quando o som é desse nível, é ruim de não falar!
    Valeu! Continue poraqui.

    ResponderExcluir

Uma obra de arte é um ângulo apreciado
através de um temperamento.
(Emile Zola)