terça-feira, 25 de novembro de 2008

ÀS AMIZADES E AFINS


Não queria que se pensasse aqui apenas num tratado, escrito de um homem para uma mulher com intenções de cartilha para namorados, de amor de sexo, casamentos... Embora quem o tenha escrito, claramente, pensou assim. Em minha avaliação, abstraindo o romantismo das palavras carícias, é um trato perfeito, escrito para valer a qualquer relação. Portanto, pra quem souber absorver, não se trata de uma DR (que puto que sou com essa expressão cretina, bem ao modo "sigla" "a regra" dos relacionamentos do futuro...) antes mesmo da relação. Os bichinhos de estimação já agem sob essas normas, por puro instinto, desde que o mundo é mundo. Desde que homens e mulheres resolveram ter estima por bichinhos:


“Quando você se aninhou perto, eu dessa vez pensei...tenho para oferecer o meu carinho e alguma poesia.


Venho tentado fazer isso, te dar, te entregar o que vens buscar. Com minhas mãos, com minhas palavras, quando podes vir, quando queres ganhar.


O bem que isso me faz, isso eu sei.
Algum bem isso te traz ou não estarias vindo receber.

É natural acontecer que um de nós venha querer alguma coisa mais, e que um de nós ganhe do outro algo que nem mesmo queria receber. Ou peça o que o outro não tem pra entregar.

Quando isso acontece (e acontece várias vezes) é que se instala entre duas pessoas aquilo que as faz se machucarem, se desentenderem, sem saber o que fazer com aquela coisa que o outro entregou sem que se tenha pedido, ou com aquilo que não entregamos porque não tínhamos pra dar.

Assim sendo, meu encanto
preciso te perguntar a resposta que nem sei se tens para dizer:

diz o que que é que você quer de mim, saber isso é o que eu quero agora de você.
O resto, lá fora, não tem importância alguma neste momento, pois o que importa do mundo está aqui dentro, entre a tua mão e a minha.

No entanto, doce poesia, se não é claro o que queres de mim, se não tens como explicar o que de mim queres, façamos o seguinte:

entre nacos de silêncios e gemidos, façamos o amor do jeito mais intenso e leve que nos seja permitido alcançar.

Do jeito mais bonito que somos capazes.

Então, o mundo irá parar com todas as suas máquinas e quinquilharias, para escutar o que nós dois temos a dizer.

Pode ser, meu poema?”

Mário Pirata
Poeta & brincadeiro - um marmanjo desajeitado, descatador de caramujos, descascador de sonhares - mais ou menos um encantador de histórias, um falador/fazedor de poemas.


Dedicado à Maya, futura melhor amiga, totalmente no presente.


Agora, se tua intenção é conquistar a mulher amada, junte ao texto, num emeio delicado, este oferecimento. Um brinde da casa sônica aos que querem correspondência:

video

5 comentários:

  1. Em tempo: o vídeo é de Roberta Sá, música homônima do álbum: Belo Estranho Dia de Amanhã.

    ResponderExcluir
  2. cara, adorei o Timons e já tô curtindo aqui (a Pavitra me passou), mas volto aqui na Roberta pra ouvir de novo =)

    ResponderExcluir
  3. Que bonito!
    Gostei do texto e do vídeo.

    ResponderExcluir

Uma obra de arte é um ângulo apreciado
através de um temperamento.
(Emile Zola)