segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Bill Evans (Loose Blues)



Bill Evans é considerado por muitos o melhor pianista de jazz de todos os tempos. Esse negócio de o melhor, maior, mais significativo... é chato paca. Mas só pra dar noção do patamar do sujeito e da quantidade de experts que enchem-lhe a bola, não custa introduzi-lo e ao álbum, lá no pico. O fato é que... - fala, Salsa -: “a inegável técnica associada a não menor sensibilidade de Bill Evans nos dispensa de fazermos quaisquer elucubrações sobre o seu papel no campo jazzístico. Gostaria apenas de destacar o belo encontro propiciado por ele, Jim Hall, Zoot Sims, Ron Carter e Philly Joe Jones no embasbacante cd Loose blues. O nome do disco está relacionado, creio, ao longo período que ficou no fundo da gaveta até ser lançado em 1982*. Esse encontro é uma verdadeira pororoca de gênios do jazz que não economiza em bons momentos: todos os músicos parecem estar ligados em uma só sintonia e nos brinda com um disco ímpar.”
Postado por Salsa 04-06-07
(http://jazzseen.blogspot.com/)

Interessante observar os comentários:

"O Grato"
disse...
Essa é a segunda inserção de Bill Evans no Jazzseen.Continue assim, Mr. Salsa, faça o bem, sem olhar a quem.

"O Exigente"
disse...
Não é um dos melhores trabalhos de Bill Evans, mas é sem dúvida um bom disco. Gravado nos anos 60 e lançado após a morte do pianista, a destacar a sensacional faixa "Loose Blues".


Repare na data da postagem do álbum: (04-06-07). Talvez essa tenha sido uma das primeiras dicas que segui, em minha real iniciação ao mundo jazz, quando resolvi fazer o intensivo. Sim, não é dos melhores trabalhos do melhor pianista da estratosfera... Aliás, pode até ser ou não ser, pra mim a questão não é essa. Para mim foi Loose Blues a apresentação! Ter ouvido falar em Bill Evans a vida toda e escutado 3 ou 4 músicas esparsas, não é o mesmo do que começar a experimentar à vera o som de Bill Evans. Num álbum fechado. Nesses tempos de big bang de informação na velocidade da luz, eis um detalhe tipo, banal, tipo, óbvio, mas que só se sabe-escuta-sente quando começa-se a ouvir. E que bela apresentação de Bill Evans, Salsa, Jazzseen!... Valeu a dica. Tipo, um ano e meio depois.


* A gravação original, segundo as fontes consultadas, é de 1962


Bill Evans (Loose Blues)

9 comentários:

  1. oi, gostei do seu blog com tantos posts variados em temas...

    Você comentou no meu CATA TUDO e elucidou a curiosidade que teve pelo meu perfil " sou a pessoa que pede mais tempo pensando quem é" seu questionamneto gerou um texto sobre isso
    em especie de explicaçãoa inda não postei, mas quando fizer passarei aqui lhe convidando ,porem para que não penses que fico parada pensando quem sou essa frase é uma analogia ao que queremos ser e vivemos de ideologias que nao se concetizam e depois nos perguntamos de nós mesmos Quem sou? uma pergunta que muda de respostas junto ao tempo

    obrigada por comentar...te achei atrevido, mas, gostei muito do comente...acredita que me fez pensar mais um pouco sobre sobre mim...rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Que atrevimento bom, então, né KêDy! Fico feliz.

    Taí, nunca me pensei dessa forma. Você acaba de me fazer concluir que sou mesmo bem atrevidinho. Gostei disso. Numa sociedade tão competitiva, atrever-se é um tremendo upgrade.

    Não pare de "perder" esse tempo. Eu nunca parei. O difícil, não só pra você ou pra mim, mas para todos, é transformar supostas perdas em ganhos. A compensação? Ganha-se o melhor da vida. Com certeza.

    ResponderExcluir
  3. oooooooi :d
    obrigada pelo feliz ano novo. feliz 2009 pra você também. como se diz?
    antes tarde do que nunca? hahahaha. é, é sim!
    e o brigada também pelos tantos conselhos que você sempre posta la pra mim!
    beijosaté ;)

    ResponderExcluir
  4. E c v q eu nem vendo, né, Náthali?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. hahahaha
    que bom pra mim né?
    a forma como disse "conselhos", é porque acho que não tem quem leia, e não reflita sabe?!
    não vou mentir, ainda não ouvi as musicas mais li as letras, só que vou procurar ouvir sim, valeu pela dica , como vc acha melhor. hahaha brincadeira ;)
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Quietinha7/1/09 00:23

    Nao vou ler agora porque esses posts de voces sao demais inteligentes e eu fico perdida antes de ler umas tres vezes.
    No Blog do Salsa nem consegui ainda coragem de dar minha opiniao.
    Passei aqui só pra dizer que voce é demasiado apressado eu demasiado lenta e que se voce nao tivesse cometido suicidio antes que eu formasse uma opnião, talves, todavia, tntretanto, possivelmente nos teriamos sido uma linda dupla.
    Beijos Acima e ao Além...
    (meu micro esta em coma ! volto nos respiros repentinos)

    ResponderExcluir
  7. Ô, Quieta, pede uma segunda opinião à Gabi, à Jô... Na polícia civil do Rio! Não tenho antecedentes, juro!

    E... "apressado", eu? "demasiado lenta", voce?

    "Nao tivesse cometido suicidio antes que eu formasse uma opnião, talves, todavia, entretanto, possivelmente nós teriamos sido uma linda dupla"? Puxa! Já, "teríamos"? no passado? E eu q sou o lento?... Digo, apressado???

    Vc sabe q o q está fazendo é tortura psicológica. Fere os direitos fundamentais do ser humano.

    Puxa vida, aquele enforcamento foi fake. Só quaria um dedinho de prosa...

    Tudo bem, c q sabe. De minha parte, q c acha? Vou insistir.

    ResponderExcluir
  8. é pra ouvir nessa madrugada finalmente silenciosa, depois de um dia dos mais agitados... presentão Sergio!
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Bill é duca. fiz uma coluna sobre Convesations With Myself. Uma vida acidentada, uma carreira esplendorosa.

    ResponderExcluir

Uma obra de arte é um ângulo apreciado
através de um temperamento.
(Emile Zola)